O que é Psicoterapia Analítico Comportamental?

Há muitos mitos e informações errôneas sobre o que um psicólogo faz no ambiente terapêutico. É ainda maior o desconhecimento e a confusão acerca das diferentes abordagens psicoterapêuticas. Em vista disso, meu objetivo aqui é explicar do que se trata a psicoterapia dentro do enfoque analítico-comportamental de forma simples e concisa.

A psicoterapia analítico-comportamental é baseada na filosofia do Behaviorismo Radical (radical remete à raiz, e não radicalismo como muitos pensam) e na ciência da Análise do Comportamento, formuladas pelo psicólogo americano Burrhus Frederic Skinner, que compreende o comportamento humano a partir da interação entre organismo e ambiente. Para Skinner (1957) “Os homens agem sobre o mundo e o modificam e, por sua vez, são modificados pelas consequências de sua ação”.

Dentro desta abordagem chamamos aquele que procura a psicoterapia de cliente, dando ênfase ao seu papel ativo no processo de mudanças. Portanto, para que a psicoterapia aconteça é imprescindível que haja comprometimento não só do terapeuta, mas também do cliente.

Entretanto, é comum e compreensível que as pessoas apresentem dúvidas sobre o seu papel no processo de psicoterapia. Além disso, em alguns casos a procura por este serviço é adiada devido à apreensão gerada pelas dificuldades em identificar ou expressar seus problemas. Contudo, vale ressaltar que é papel do psicoterapeuta explicar para o cliente sobre o funcionamento da psicoterapia já na primeira sessão e ajudá-lo na identificação e expressão de suas dificuldades.

O psicoterapeuta parte da investigação dos problemas trazidos pelo cliente através da Análise Funcional dos seus comportamentos, principal ferramenta de trabalho. São analisados junto com o cliente os seus sentimentos, pensamentos e comportamentos com o objetivo de identificar o que os provocam, controlam, motivam ou os cessam. Deste modo, o cliente desenvolve o seu autoconhecimento, tornando-se mais consciente dos fatores que controlam suas atitudes.

A partir dessas análises funcionais é possível identificar quais são as intervenções necessárias e possíveis a serem realizadas visando atingir os objetivos terapêuticos definidos pelo terapeuta e pelo cliente. De forma mais ampla, busca-se por meio da mudança de comportamento do cliente alterar o ambiente em que ele vive em prol da sua qualidade de vida. Para isso, comumente é necessário que o terapeuta promova o desenvolvimento de algumas habilidades no cliente, tais como a de efetividade na comunicação interpessoal e a de regulação emocional.

Deste modo, a psicoterapia beneficia não só aqueles que apresentam uma psicopatologia. É possível também auxiliar todos aqueles que querem mudar de atitude e modificar as contingências da sua vida em busca de uma vida mais plena e saudável.

Foto Crédito: jeffcutler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *